quarta, 27 de abril de 2022

CNM e IBGE orientam Municípios sobre a importância do Censo 2022

27042022 IBGEFaltando apenas 96 dias para o início do Censo Demográfico 2022, a ser realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Confederação Nacional de Municípios (CNM) promoveu nesta quarta-feira, 27 de abril, o painel técnico para orientar os gestores municipais sobre a importância de participação no levantamento. A previsão é de que o resultado final seja divulgado em 30 de dezembro deste ano.

O analista em estudos técnicos da CNM Hilton Silva ressaltou em sua fala que o Censo é a única fonte de informação para dar todo o diagnóstico ao gestor municipal. “A CNM acredita que o Censo é muito importante para os Municípios. Nós precisamos conhecer o presente para organizar o futuro. Precisamos saber se os Municípios passaram por mudanças e quais foram; se as cidades saíram de pequenas para médias, de médias para grandes, enfim, é com o Censo que temos este diagnóstico completo”, pontuou.

Os dados coletados pelo Censo interferem, também, no Fundo de Participação dos Municípios (FPM), já que o coeficiente é calculado com base na população. “Nós não conseguimos planejar o futuro se não tivermos o raio-x do momento, do agora. E isso é feito através do Censo. Com o Censo bem feito, vamos poder auxiliar bastante nos dados. Por isso, pedimos que os gestores municipais incentivem os moradores da sua cidade a receberem o recenseador”, lembrou.

Para a realização e a coleta dos dados do Censo, o IBGE utiliza de tecnologia que possibilita a coleta imediata das informações, atualizando os dados em tempo real, como destacou o analista da Coordenação Operacional dos Censos do IBGE David Monteiro. “A tecnologia que o recenseador utiliza registra o questionário e, assim que faz a visita, transmite via internet e aparece no mapa um alfinete amarelo indicando que aquele domicílio já foi ou não visitado ou o que aconteceu. Essa oportunidade da prefeitura acompanhar este trabalho é uma oportunidade ímpar, já que a gente consegue ver quantos questionários foram aplicados na região e acompanhar o trabalho do recenseador”, comentou.

Padronização de endereços
Para o trabalho do Censo, o IBGE destaca a importância da padronização dos endereços no país. Para tanto, existe o Cadastro Nacional de Endereços para Fins Estatísticos (CNEFE). Ele é um repositório de endereços de abrangência nacional criado, em 2005, a partir da sistematização dos dados coletados pelo Censo Demográfico 2000. Esse Cadastro contempla informações sobre domicílios e estabelecimentos de todo o país. A cada Censo Demográfico, ele é totalmente atualizado e passa por um processo contínuo de atualizações pontuais de acordo com a demanda das demais pesquisas.

“Nós precisamos tentar uniformizar o cadastro dentro das prefeituras do Brasil. E, para isso, precisamos de um formato padronizado que ajude na manipulação dos dados, para ajudar o recenseador no momento de fazer o trabalho. Além disso, é a partir do Cnefe que o IBGE consegue oferecer dados para auxiliar o gestor municipal na construção de políticas públicas”, destacou Monteiro.

Também participou do painel o coordenador operacional dos Censos Wolney Menezes, assim como outros representantes do IBGE.

Da Agência CNM de Notícias

Movimento Municipalista


Imagem de patrocinadores